História da Arte Floral

História da Arte Floral

Imagens e vestígios de decoração floral são encontrados ao longo da história. Desde os tempos mais remotos, as flores eram utilizadas para adornar as sepulturas ou cerimónias religiosas.

Esta tradição encontra-se ao longo de várias épocas: Egípcia, Mesopotâmica, Grega e Romana. Estes hábitos e costumes de decorar com flores, apesar de serem diferentes entre o oriente e o ocidente, prevaleceram ao longo dos anos até aos nossos dias.

A morte era homenageada com grinaldas, coroas e palmas e o mais interessante é que o formato das mesmas era muito semelhante ao que encontramos actualmente.

Ao longo da história, as pessoas sempre admiraram a beleza natural das flores. Tal como hoje os arranjos florais enchem de cor e proporcionam um ambiente tranquilizante em qualquer espaço ou evento.

Apesar dos estilos dos arranjos florais terem sofrido alterações ao longo da história e nos vários continentes sempre tiveram um significado muito afectivo.

 

A Arte Floral ao longo da História

Desde os tempos mais remotos, era o jardineiro que fazia as decorações com a ajuda de um assistente. A decoração era feita com as flores e plantas disponíveis em cada estação do ano.

A história da floricultura está fortemente relacionada com a evolução do design de jardins. Esta evolução foi a responsável pela transição da decoração para outros ambientes, quer para a decoração das casas como de eventos.

 

Antigo Egípcio ( 2800-28 BC)

Os Egípcios utilizavam as flores desde 2500 A.C. nas suas cerimónias religiosas, decoração de sepulturas e para decorar as suas casas.

As flores de corte adornavam as urnas e vários tipos de recipientes utilizados especialmente para ocasiões religiosa. As flores mais utilizadas eram rosas, violetas, narcisos, lílios, papoilas e jasmim.

As grinaldas eram usadas nos funerais e posteriormente deixadas nas campas como forma de decoração. O design floral egípcio era simples.

 

Grécia Antiga ( 600- 150 BC)

Os gregos utilizam as flores como forma de adorno, enquanto as coroas e as grinaldas eram utilizadas para celebrações, tais como casamentos e nascimentos. Ao contrário de outras épocas, a decoração de recipientes não era usado na antiga Grécia.

As coroas de louro eram a forma de homenagear os campeões olímpicos.

Na maior parte os arranjos florais gregos eram simétricos. As cores das flores eram menos importantes do que o seu simbolismo e a sua fragrância.

 

Grinalda Casamento

Foto de  “Nika Zhorzholiani”

 

Roma Antiga ( 28-325 D.C.)

Os romanos continuaram a tradição dos gregos, no entanto as suas grinaldas, coroas  eram mais elaboradas. As grinaldas simbolizavam vitórias militares. Os elementos geralmente utilizados pelos romanos e gregos nas composições incluíam folhas de carvalho, nozes, hera e louro.

As flores eram ocasionalmente compostas em cornucópias ou cestas e os arranjos muito coloridos e perfumados.

 

Cornucópias

Foto de Ray Hunter Florist & Garden

 

Antiga China ( 500 A.C – 100 D.C.)

Os chineses utilizam as flores também para cerimónias religiosas, e flores frescas eram colocadas em altares e templos.

A ênfase nas formas, texturas e cores únicas das flores foram grandemente inspiradas pelos chineses. Os chineses estão entre os primeiros povos a criar estruturas para as flores. Estas estruturas eram feitas de bamboo, salgueiro, junco e madeira. As flores de seda também foram inventadas pelos chineses.

A arte floral chegou a Europa por volta do ano 1000. Inicialmente, era muito popular nos mosteiros e igrejas, onde as plantas e as flores eram muito usadas como comida e também para decoração. Quando as cruzadas voltaram do médio oriente, trouxeram novas plantas e flores. Desta forma o povo europeu começou a ter contacto com novas plantas e flores.

 

antiga china

Photo by Amandine Pasin on Unsplash

 

Período da Renascimento ( 1400-1600 D.C.)

A arte floral começou em Itália e ganhou popularidade em toda a europa. Quadros com pinturas exageradas de arranjos florais tornaram-se populares. Flores, frutos e folhagens eram utilizadas para fazer grinaldas para decorar paredes e tetos abobadados. As flores mais utilizadas usavam cravos, lílios, margaridas, rosas e violetas.

As grinaldas de Natal foram criadas durante o período do Renascimento.

 

coroas natal

Photo by Irina Iriser from Pexels

 

Era Georgiana ( 1714- 1830 D.C. )

Os arranjos florais neste período eram simétricos, formais e utilizavam muita variedade de flores. O design oriental tornou-se muito popular especialmente devido ao comércio marítimo.

Nos finais desta era os arranjos florais informais ganharam importância, principalmente devido a crença que o cheiro das flores afastava as doenças.

Pequenos arranjos de mão chamados “ tussie-mussies” com fragrâncias fortes e doces ajudavam a esconder os odores desagradáveis da sociedade que estavam associados a doença.

 

tussie-mussies

Photo by Josh Felise on Unsplash

 

Período Vitoriano ( 1837-1901)

Para os vitorianos, os arranjos florais deviam ser extravagantes. Os arranjos eram compostos em vasos de porcelana e samovares de prata. Arranjos ovais e redondos tornaram-se comuns, assim como as composições triangulares e circulares de rosas.

Outras flores como lílios, tulipas, dálias eram muitas utilizadas. A arte floral era ensinada e reconhecida como arte.

 

era Victoriana

Photo by Nicolette Meade on Unsplash

Share this post

Deixe uma resposta